Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/1822/12032

TitleLevantamento biogeográfico de leveduras indígenas das vinhas do Arquipélago dos Açores
Author(s)Neves, J. Drumonde
Lima, Maria Teresa
Schuller, Dorit Elisabeth
Issue date2010
CitationINFO/WINE FORUM, 2, Vila Real, 2010 – “Go Green, Go Tech, Go Market : proceedings of the INFOWINE Forum.” [S.l : s.n., 2010].
Abstract(s)Os objectivos deste estudo são a avaliação da biodiversidade e caracterização da flora de leveduras fermentativas das vinhas dos Açores, e a construção de uma colecção de estirpes de Saccharomyces cerevisiae. Nas vindimas de 2009 colheram-se 88 amostras de uvas de castas tradicionais dos Açores (Arinto, Verdelho e Terrantez) e de castas híbridas em oito ilhas do arquipélago. A amostragem abrangeu 36 localizações, incluindo vinhas em zonas demarcadas e vinhas abandonadas. Verificaram-se 49 fermentações espontâneas. Cerca de 83% dos mostos obtidos a partir de castas tradicionais concluíram a fermentação, enquanto este valor foi de 47% e 33% para as amostras de castas híbridas nas vinhas em produção e vinhas abandonadas, respectivamente. Obtiveram-se 1470 isolados da fase final das fermentações. A identificação das espécies foi realizada pela análise de polimorfismos de fragmentos de restrição de sequências ITS. A diferenciação de estirpes de S. cerevisiae foi efectuada pela comparação de perfis polimórficos obtidos por amplificação de sequências inter-delta. Identificaram-se 660 isolados de espécies não-Saccharomyces e 810 isolados de S. cerevisiae, que foram classificados em 168 estirpes. Surpreendentemente, a percentagem de S. cerevisiae em fermentações de mostos obtidos em vinhas abandonadas (75%) foi superior aos valores obtidos em vinhas em produção (56%, tanto em castas tradicionais como em castas híbridas). Pelo contrário, o número de estirpes de S. cerrevisiae por fermentação nas amostras colhidas em vinhas abandonadas (3-11) foi inferior ao obtido em vinhas em produção (1-23). A proporção relativa de isolados pertencentes às espécies S. cerevisiae e não-Saccharomyces não dependeu da casta, mas do tipo de vinha. O maior número de estirpes de S. cerevisiae por fermentação foi obtido nas amostras colhidas na Ilha Graciosa. Estes resultados demonstram a elevada diversidade genética de S. cerevisiae nas vinhas dos Açores, mesmo em vinhas abandonadas e sem intervenção humana.
TypePoster
URIhttps://hdl.handle.net/1822/12032
Peer-Reviewedno
AccessOpen access
Appears in Collections:DBio - Comunicações/Communications in Congresses

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Infowine_Açores_P.pdfDocumento principal3,91 MBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID