Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/1822/20777

TitleNa escola, tu és feliz? Estudo sobre as manifestações e implicações do bullying escolar
Author(s)Melim, Fernando
Advisor(s)Pereira, Beatriz Oliveira
KeywordsBullying
Agressividade
Vitimização
Escola
Sucesso educativo
Educação física
Desporto
Aggressiveness
Victimization
School
Educational achievement
Physical education
Sport
Issue date10-Jul-2012
Abstract(s)O bullying infelizmente já não é novidade, nem para alunos, pais ou professores, nem para os próprios meios de comunicação social. Porém, a sua emergente investigação tem ainda um vasto caminho a percorrer até ser possível consolidar, internacionalmente, uma identidade comum deste problema. Com diferenças substantivas que provêm de variáveis culturais e/ou metodológicas, a realidade é que, até hoje, o bullying tem sido detetado em todos os países em que foi investigado. Em Portugal, o bullying, como fenómeno dissociado do conceito mais abrangente de violência escolar, ainda não é uma realidade indubitável no âmbito das políticas nacionais para o combate aos problemas de agressão e violência no meio escolar. A sua constante associação com outros comportamentos, igualmente reprováveis, como a indisciplina, o vandalismo, a marginalidade e outros tipos de agressividade, como que diluem a sua peculiar natureza insidiosa e fatídica. Esta investigação pretende contribuir para um maior conhecimento sobre as manifestações e implicações do bullying na população estudantil, para a descrição dos perfis característicos dos alunos que são vítimas e agressores e para a associação entre o bullying e aproveitamento escolar nas disciplinas de Educação Física, Português e Matemática, assim como, entre o bullying e a participação desportiva dos jovens. Este é um estudo analítico de delineamento transversal que incide sobre os comportamentos de bullying, numa amostra de 1.818 alunos, do 5º ao 9º ano de escolaridade, pertencentes a escolas públicas dos 2º e 3º ciclos da Região Autónoma da Madeira (R.A.M.). A média de idades situa-se nos 12,8 anos com um desvio padrão de 1,75. A amostra de acordo com o género é constituída por 914 raparigas (50,3%) e 904 rapazes (49,7%). Para a recolha de dados foi utilizado um questionário original de Olweus (1989), adaptado para a língua portuguesa e validado para a população escolar por Pereira e Tomás (1994 cit. em Pereira, 2008) e revisto para este estudo em 2010. Foram incluídas nesta adaptação questões relativas à Educação Física e à prática desportiva dos alunos. Considerando os resultados obtidos, podemos concluir que a agressão, verbal ou física, direta ou indireta, está disseminada nas relações interpessoais dos alunos e que os acompanha ao longo do seu percurso escolar até ao secundário. Embora a vitimização e a agressão mais frequentes registem ainda valores médios não alarmantes, tem na nossa opinião todas as condições para aumentar no futuro, dada a abrangência e estabilidade evidenciadas pelas expressões menos recorrentes e densas deste comportamento entre a população estudada. Por outro lado, o valor total de alunos envolvidos no bullying, como vitimas ou agressores, é consideravelmente elevado. Estatisticamente, as raparigas e os rapazes não diferem ao nível da incidência da vitimização, mas os rapazes estão significativamente mais envolvidos neste problema. Esta situação explica-se porque os rapazes quando envolvidos, assumem muito mais o papel de agressores ou vítimas agressoras, grupos que atingem níveis preocupantes. Foi possível comprovar que os alunos que relatam vivências de bullying possuem menor aproveitamento escolar do que os colegas que não relatam tais experiências. Na Educação Física, os alunos vitimados por este flagelo possuem menos gosto e mais dificuldade nesta disciplina e todos os jovens envolvidos (vítimas e agressores) possuem uma expectativa mais baixa em relação à importância dos conteúdos da mesma. Finalmente, da análise entre a participação em situações de bullying e a prática desportiva, concluímos que a influência do desporto não é tão relevante e benéfica como suponhamos. Contudo, após pesquisa mais aprofundada, percebemos que esta imagem menos positiva do desporto fica a dever-se, sobretudo, à predominância masculina entre os desportistas da amostra, assim como ao facto do futebol ser a sua modalidade de eleição.
Nowadays bullying is unfortunately a recurrent and familiar matter, for either students, parents and teachers, as for the media themselves. However, the emerging research still has far to go before it is possible to consolidate, internationally, a common representation of this problem. With substantial differences, which come from cultural and/or methodological variables, the reality is that until today bullying has been detected in every country in which it was investigated. In Portugal, bullying, as a phenomenon dissociated from the more comprehensive concept of school violence, is not yet an irrefutable reality within the framework of national policies to oppose the problems of aggression and violence in the school environment. Its constant association with other behaviors, equally reproachable, such as indiscipline, vandalism, delinquency and other types of aggressiveness, masks its peculiar, insidious and fateful nature. This research aims to contribute to a greater understanding of the manifestations and implications of bullying on the student population, to the description of the characteristic profiles of the students that are either victims or aggressors and to the link between bullying and school performance in the subjects of Physical Education, Portuguese and Mathematics, as well as, between bullying and involvement in youth sport activities. This is an analytical study of transversal delineation that focuses on bullying behaviors in a sample of 1,818 students from 5th to 9th grades, who attend public primary and secondary schools of the Autonomous Region of Madeira (A. R. M.). The average age is around 12.8 years with a standard deviation of 1.75. The sample according to the gender it’s consisted of 914 girls (50.3 %) and 904 boys (49.7%). For the collection of data it was used an original questionnaire by Olweus (1989), adapted to Portuguese and validated for the school population by Pereira and Tomás (1994 cited in Pereira, 2008), and revised for this study in 2010. Issues relating to Physical Education and sports of students were included in this adaptation. Considering the results, it may be concluded that the verbal or physical aggression, in a direct or indirect manner, is widespread in the students’ interpersonal relations and accompanies them throughout their school lives. Although the more frequent victimization and aggression still register not alarming average values, it has, in our opinion, the conditions to increase in the future, given the scope and stability evidenced by less recurrent expressions of this behavior within the population under analysis. On the other hand, the total value of students involved in bullying, as victims or aggressors, is considerably high. Statistically, girls and boys do not differ in terms of incidence of victimization, but the boys are significantly more involved in this problem. This situation is explained because the boys, when involved, more frequently assume the role of aggressors or bully-victims, groups which reach worrying degrees. It was possible to verify that the students who reported their bullying related experiences have lower school performance than their colleagues who do not report such experiences. In Physical Education, students who have become victims of this scourge show less interest and greater difficulties in the subject and all the young people involved (victims and aggressors) have lower expectations concerning the importance of its syllabus. Finally, from the analysis of the link between the participation in bullying situations and the practice of sport, we conclude that the influence of sport is not as relevant or beneficial as supposed. However, after more thorough research, we realise that this less positive image of sport is mainly attributable to the male predominance among the sports practitioners in the sample, as well as the fact that football is their preferred modality.
TypeDoctoral thesis
DescriptionTese de doutoramento em Estudos da Criança (ramo de conhecimento em Educação Física, Lazer e Recreação)
URIhttps://hdl.handle.net/1822/20777
AccessOpen access
Appears in Collections:BUM - Teses de Doutoramento
CIEC - Teses de Doutoramento

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Fernando Marcelo Ornelas Melim.pdf5,64 MBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID