Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/1822/24588

TitleIntervenções de carreira no ensino superior : estudo da eficácia de um seminário de gestão pessoal de carreira
Author(s)Loureiro, Nazaré
Advisor(s)Taveira, Maria do Céu
KeywordsIntervenção ensino superior
Eficácia
Seminário de gestão pessoal de carreira
Psicologia vocacional
College intervention
Efficacy
Career self management seminar
Vocational psychology
Issue date18-Apr-2013
Abstract(s)As alterações, constantes e rápidas, verificadas atualmente no mundo socioeducativo e laboral, criaram uma crise ao nível dos padrões orientadores das pessoas, ao mesmo tempo que um desafio para os profissionais da psicologia vocacional (Savickas, 2008). Estas mudanças evidenciam a importância do desenvolvimento, nos cidadãos, de “competências de gestão da sua própria educação e emprego” (Organization for Economic Co-operation and Development – OECD, 2005, p. 8), de modo a os tornar cada vez mais proficientes para lidar com os novos desafios. A resposta a este repto pode fundamentar-se nos conhecimentos da Psicologia Vocacional sobre a eficácia das intervenções de carreira, destinadas a favorecer aquelas competências de gestão em sujeitos com diversos níveis de qualificação académica e profissional (e.g., Brown & Lent, 2005; Guichard & Huteau, 2001; Pinto, 2010; Young & Chen, 1999). Estudos de meta-análise realizados até ao momento (e.g., Brown & Krane, 2000; Oliver & Spokane, 1988; Spokane, 2004; Whiston, Brecheisen, & Stephens, 2003) demonstram que os seminários de desenvolvimento vocacional estão entre as modalidades de intervenção vocacional mais eficazes, que recebem melhor aceitação da parte dos estudantes universitários, e com efeitos de magnitude mais satisfatória nessa população (e.g., Johnson, Smither, & Holland, 1981; Luzzo, 2000; Reese & Miller, 2006). Para além disso, o facto de implicar uma intervenção em grupo, cria condições para o aumento da eficiência na intervenção (Spokane, 2004). Esta linha de estudo tem fundamentado a definição de boas práticas neste âmbito e é recomendada por diversos autores (e.g., Spokane, 2004; Whiston, 2000; Oliver & Spokane, 1988). Torna-se, assim, importante continuar a avaliar as intervenções, embora não só através dos dados dos seus resultados como também através dos dados do processo da intervenção, conjugando, deste modo, na análise, estas duas componentes, dos resultados e do processo. Além disso, e no que respeita o Ensino Superior, tendo em conta que diversas das intervenções avaliadas foram objeto de estudos únicos, baseados em parâmetros pré-determinados pelo serviço onde decorreram (Whiston, 2000), em muitos casos sem uma explícita fundamentação teórica e com limitações metodológicas (Luzzo, James, & Luna, 1996), entende-se que será importante desenvolver novos estudos para obviar tais problemas. O presente estudo visa contribuir para esta finalidade e para a realização de novos estudos da eficácia das intervenções de carreira no contexto nacional, praticamente inexistente,sobretudo junto da população universitária graduada, e em relação à qual existe forte preocupação social relacionada com a problemática do emprego. Assim, em primeiro lugar, enquadra-se o Ensino Superior atual, os seus alunos e as novas necessidades com que os cidadãos se deparam no contexto de trabalho. Posteriormente, revê-se criticamente alguns estudos sobre a intervenção vocacional, em especial, no que respeita à avaliação da sua eficácia. Privilegia-se a revisão dos estudos da intervenção vocacional preventiva no Ensino Superior, sobretudo, dos seminários de desenvolvimento da carreira, dada a validade clínica demonstrada desta tipologia de intervenção naquele contexto de ensino (e.g., Luzzo, 2000; Miller & Brown, 2005). Em segundo lugar, avalia-se a eficácia do Seminário Gestão Pessoal da Carreira – versão A (Taveira et al., 2006), destinado a favorecer, de um modo geral, a adaptabilidade na carreira de estudantes de graduação, nas suas dimensões de preocupação, controlo, curiosidade e confiança (Savickas, 2005). Toma-se, para o efeito, uma amostra de estudantes de três estabelecimentos do Ensino Superior da zona norte do país (Universidade do Minho, Instituto Politécnico do Cávado e do Ave, e Instituto Superior de Saúde do Alto Ave). A amostra é tripartida, em função dos estudos realizados (N=560; 428 e 198), relativos aos instrumentos e aos resultados. A eficácia é avaliada junto dos participantes na intervenção, por comparação com um grupo de referência, em três momentos distintos no tempo. A avaliação é realizada com recurso a três instrumentos de avaliação formal, o Career Exploration Survey ou a Escala de Exploração Vocacional, adaptada por Taveira, em 1997, o Career Development Inventory, na versão portuguesa para investigação de Ferreira Marques e Caeiro (1979, 1981, 1982) e o My Vocational Situation ou A Minha Situação Vocacional, adaptada por Silva, em 1997. A avaliação estende-se, igualmente, ao processo de intervenção (N=213), através do recurso ao Client Reaction System ou Sistema de Reações do Cliente, de Hill, Helms, Spiegel, e Tichenor (1988, adaptado por Taveira, Oliveira, & Gomes, 2004). Potencia-se este estudo com a análise qualitativa de dados de uma estratégia mais informal de avaliação como o Comentário Pessoal do Seminário. A análise dos resultados globais obtidos permite concluir pela eficácia da intervenção desenhada. Efetivamente, a generalidade dos participantes apresenta melhores resultados no momento pós-teste, por comparação com o momento pré-teste e por comparação com um grupo de referência, não sujeito à mesma condição experimental. Estes valores são relevantes na maioria das escalas quando analisamos a evolução do grupo experimental ao longo do tempo. Ou seja, regista-se uma melhoria ao nível das crenças de exploração vocacional, ao nível do processo e das reações, bem como ao nível do planeamento, da tomada de decisão, do conhecimento sobre a carreira e o mundo do trabalho, da identidade vocacional e uma diminuição da perceção de barreiras. A análise deste grupo, por comparação com o grupo de controlo, permite concluir que é o primeiro quem apresenta melhores resultados, aspeto que nos permite atribuir este facto à intervenção, com algum grau de confiança. Ademais, estes valores tendem a manter-se no tempo, embora com uma evolução menos acentuada, tal como nos inspiram os valores encontrados no estudo com três momentos no tempo, com um momento de avaliação cerca de oito meses após a intervenção, em média. Ao nível do estudo do processo de intervenção, analisou-se as reações ao processo. Complementarmente, analisou-se os comentários finais. Destes dados, verifica-se que as reações com tonalidade positiva são mais frequentemente assinaladas que as reações de tonalidade negativa, ao longo dos três módulos. Assim, são mais assinaladas as reações como a compreensão, o autoconceito, a clareza, a educação e o apoio. No que concerne os comentários finais do seminário, efetivamente, a aquisição de conhecimentos e o autoconhecimento são os aspetos que os participantes mais referem. Estes resultados vão no sentido do cumprimento dos objetivos gerais e específicos do Seminário de Gestão Pessoal de Carreira – versão A. Estes resultados reforçam e motivam à continuidade da intervenção psicológica desenhada para prevenir problemas vocacionais em grupos específicos de universitários.
Constant and fast changes in educational and labor spheres created a crisis in terms of people’s life-guiding patterns, as well as a challenge for professionals in vocational psychology (Savickas, 2008). These changes highlight the importance of developing, in citizens, selfmanagement skills related to “their own education and employment” (Organization for Economic Co-operation and Development – OECD, 2005, p. 8), in order to make them more proficient in dealing with new situations. The answer to this challenge may be based on the Vocational Psychology knowledge about effectiveness of career interventions, designed to promote career self-management skills in people with different levels of academic and professional qualifications (e.g., Brown & Lent, 2005; Guichard & Huteau, 2001; Pinto, 2010; Young & Chen, 1999). In fact, some meta-analysis studies made this far, based on quantitative research on the topic (e.g., Brown & Krane, 2000; Oliver & Spokane, 1988; Spokane, 2004; Whiston, Brecheisen, & Stephens, 2003), reveal that vocational development seminars are, among the various possible methods of career intervention, the ones that receive greater acceptance by students and have a more satisfactory magnitude effects in this population (e.g., Johnson, Smither, & Holland, 1981; Luzzo, 2000; Reese & Miller, 2006). Furthermore, considering that it takes a group intervention, it creates conditions for an increased efficiency (Spokane, 2004). These studies have substantiated the definition of good practices in career intervention and they are recommended by several authors (e.g., Spokane, 2004; Whiston, 2000; Oliver & Spokane, 1988). Therefore, it is important to continue to evaluate career interventions, and not only the whole final results, but also the process, in a combined analysis. Moreover, in higher education, and considering that most of the interventions evaluated this far were generally single studies, based on predetermined service parameters (Whiston, 2000), and in many cases without an explicit theoretical framework and with methodological limitations (Luzzo, James, & Luna, 1996), it means that it is extremely important to continue to develop new studies to overcome such problems. The present study aims to contribute for this purpose and to increase career interventions effectiveness studies in national context, roughly nonexistent, especially among college population, that is a population with strong social concern related to unemployment. Therefore, firstly, we present a brief review on college education and new needs that citizens face in the workplace. After that, we critically review some of the main studies on career intervention, particularly regarding preventive career interventions with college students, especially seminars, as it is a valid type of intervention with this population (e.g., Luzzo, 2000; Miller & Brown, 2005). Secondly, we evaluate the effectiveness of the Career Self-Management Seminar – version A (Taveira et al., 2006), intended to, basically, promote adaptability in graduation college students in relation to theirs career concern, control, curiosity and confidence (Savickas, 2005). For this purpose, we consider a group of students from three higher education institutions on the north of Portugal, the Universidade do Minho (University of Minho), the Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (Polytechnic Institute of Cávado and Ave) and the Instituto Superior de Saúde do Alto Ave (Institute of Health of the High Ave). Participants were analysed in a tripartite way, according to the three different sub-studies (N = 560, 428 and 198) related to instruments and results. Participants were assessed before and after the intervention and results were compared to a reference group, in three different evaluation moments in time. Assessment was conducted using three formal instruments, the Career Exploration Survey, adapted by Taveira, in 1997, the Career Development Inventory, in the Portuguese version for investigation by Ferreira Marques and Caeiro 1979, 1981, 1982, and My Vocational Situation, adapted by Silva, in 1997. Assessment extends also to the intervention process during the seminar (N=213), using the Clients Reaction System (Hill, Helms, Spiegel, & Tichenor 1988, adapted by Taveira, Oliveira and Gomes, in 2004). This analyses was also combined with another qualitative analyses made from data related to an informal strategy, the Seminar’s personal final comment. Global results support the effectiveness of the career intervention. In fact, the majority of participants have better results in the post-test assessment comparing to the pre-test, and comparing to a control group. These results are significant in almost every scale when we analyse the evolution of the experimental group results. That is, this group has better vocational exploration beliefs, better results related to the exploration process and reactions, as well as better results related to planning, decision-making, knowledge, vocational identity and a decrease of career barriers perception. This group results, comparing to the control group results, allows us to conclude that experimental group as better results and allows us also to conclude that probably this is due to the career intervention. Besides, as the follow-up study shows, these values tend to hold up over time, although with a less pronounced evolution. The process study was conducted using the results related to the reactions. We analysed also data from the final comment. Results from Clients Reaction System reveal that positive reactions are more frequently pointed out than negative reactions, all over the three moments in time. The most frequently marked reactions are understood, better self-understanding, clear, educated and supported. Participants pointed out in the final comment that the seminar was useful as it allowed to access to new information and to a greater self-knowledge. These results were expected and it means that the main and specific seminar goals were fulfilled. These results reinforce and motivate the continuity of vocational intervention, especially among groups with specific intervention needs.
TypeDoctoral thesis
DescriptionTese de doutoramento em Psicologia (área de conhecimento em Psicologia Vocacional)
URIhttps://hdl.handle.net/1822/24588
AccessOpen access
Appears in Collections:BUM - Teses de Doutoramento
CIPsi - Teses de Doutoramento


Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID