Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/1822/56261

TitleComo criar um monstro: o manual de instruções do Dr. Victor Frankenstein
Author(s)Guimarães, Armando Rui Castro Mesquita
Araújo, Alberto Filipe
Issue date2018
PublisherUniversidade de São Paulo. Faculdade de Educação (FEUSP)
CitationGuimarães, A. R., & Araújo, A. F. (2018). Como criar um monstro: o manual de instruções do Dr. Victor Frankenstein. In A. F. Araújo, R. Almeida, & M. Beccari (Orgs.), O mito de Frankenstein. Imaginário & Educação (pp. 71-87). São Paulo: FEUSP. DOI: 10.11606/9788560944866
Abstract(s)[Excerto] No dia 1 de Junho de 1816, Mary Shelley, o poeta Percy Bysshe Shelley, seu amante e futuro marido, William, o filho de ambos nascido em Janeiro desse ano e Claire Clairmont, instalaram-se na Casa Chapuis, junto ao Lago de Genebra. Dias depois, Lorde Byron, acompanhado pelo seu médico pessoal, John William Polidori, vão instalar-se na Villa Diodati, mesmo ao lado da casa dos Shelleys. Nos encontros que se seguiram, estes notáveis e controversos poetas, famosos pelas suas ideias, convicções e atitudes revolucionárias, anticonvencionais, ateias e imorais, discutiram as suas leituras – eram todos leitores compulsivos1 –, onde constavam, para além de histórias de fantasmas, outros temas como o progresso das ciências, o princípio da vida, a reanimação de cadáveres e o galvanismo. Na tempestuosa noite de 16 de Junho desse Verão de 1816, Lorde Byron desafiou cada um dos presentes (Mary Shelley, Percy B. Shelley e Polidori) a escreveram um conto de fantasmas. Mary Shelley, a princípio, não conseguiu escrever nada, mas nessa noite teve um pesadelo e sonha com um “horrendo fantasma”. No dia seguinte começa a escrita de um conto que se transformará em Frankenstein; ou, o Prometeu Moderno. O primeiro esboço é terminado em Abril de 1817 começando logo a sua revisão e a 1 de Maio o manuscrito está pronto. A 14 de Maio, Percy Bysshe Shelley propõe algumas alterações e escreve o Prefácio e começa a procurar um editor para a obra. Em Junho a obra é recusada pelo editor John Murray. Em Agosto, é outro editor, Charles Ollie, que também recusa mas a 21 de Agosto de 1817, os editores Lackington, Allen & Co. aceitam publicar a obra. [...]
TypeBook part
URIhttps://hdl.handle.net/1822/56261
AccessOpen access
Appears in Collections:CIEd - Capítulos de Livros / Book chapters

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
O mito de Frankenstein_capitulo II.pdf613,06 kBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID