Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/1822/60260

TitleEconomic growth in post-civil conflict countries
Other titlesCrescimento econômico nos países pós-conflito civil
Author(s)Hamati, Samer
Advisor(s)Veiga, Francisco José
Portela, Miguel
Issue date31-Jan-2019
Abstract(s)Economic growth is a very challenging field due to its essential role in improving people’s lives, and to the complexity of its causes, results, and the environment wherein it is achieved. This complexity is especially high in developing countries as many have suffered from different sorts of crises, including civil conflicts which makes the data needed to assess economic growth difficult to access. There exists, then, a substantial gap in the literature, especially in the post-conflict studies. This is due, not only to the lack of available data, but also to the vagueness of term; post-conflict period. The current thesis, therefore, ventures into this underexplored field and studies different aspects of post-conflict economic growth. This thesis investigates different geographical scopes, funneling from a quasi-world dataset, in the Second Chapter, to a case study of Syria in the Fourth Chapter. It also studies the post-conflict economic growth from a regional perspective by looking at the cases of the Middle East and North Africa. The thesis covers different topics that influence economic growth, using a variety of techniques. The First Essay explores the effects of decentralization on economic growth in countries emerging from civil conflicts. To do so, we explore the effects of two types of decentralization; political and fiscal. Thus, we run two main sets of regressions: cross-sectional for political decentralization, and panel-data regressions for fiscal decentralization. In addition to the OLS and fixed effects estimation strategies that are used in the main text of the essay, we implement several robustness checks, including graphical depictions. We find no significant effect of political decentralization, implying either that no real political decentralization exists, or that political decentralization in post-conflict countries is ineffective. We find, on the other hand, that fiscal decentralization slows down the rate of economic growth, a finding that is consistent with other scholars who have warned about the dangers of decentralization. The Second Essay narrows the geographical scope of the dataset, focusing on the MENA region. Additionally, it investigates a different field tracing the effect of a monetary variable, exchange rate volatility, on economic growth. This topic has not been addressed before in the MENA region, since countries there depend more on fiscal policy tools rather than monetary ones. We first calculate the exchange rate volatilities for 23 currencies and then insert them in a function of annual economic growth between 1970 and 2014. To account for endogeneity and country-specific unobserved characteristics, we follow different estimation strategies including System-GMM, fixed effects, the bias-corrected least squares dummy variable model, and the iterative bootstrap-based bias correction for the fixed effects estimator. The results show that exchange rate volatility is a key cause of recession in the MENA region, especially in labour-abundant countries, in different phases of peace and conflict cycles. The Third Essay moves to different levels of concepts and techniques used. It utilizes the concept inclusive economic growth, and focuses on a case study of Syria, the site where one of the bloodiest civil conflicts of recent years is taking place. We use microsimulation techniques to nowcast the poverty figures and profile within the country, based on a sample of households covered in an income and expenditure survey in Syria conducted in 2009. The essay shows, not only the overall effect of the current civil conflict, but also the distributional effects on poverty. Moreover, we present the poverty profile differences before and during the conflict. The findings show that overall poverty rate jumped from 12.3% in 2009 to 87.5% in 2015, with this rate soared to 94% in Deir Azzor. The Fourth Chapter also sketches some of the demographical and economic characteristics of the poor families who lived in Syria in 2015. In addition to the contribution the last essay seeks to make in terms of Syria’s rebuilding strategy, it also adds to methodological knowledge surrounding the nowcasting of poverty rates within countries suffering civil conflict. Existing research uses this technique to nowcast poverty in some developing countries; however, to the best of our knowledge, no one has yet utilized this approach to estimate poverty rates in cases such as these.
O crescimento económico é um tema desafiador, quer pelo seu papel essencial na melhoria de vida das pessoas como, também, pela complexidade das suas causas, resultados e ambiente em que é atingido. Esta complexidade é especialmente elevada nos países em desenvolvimento, dado que muitos sofreram com diferentes tipos de crises, incluindo conflitos civis, tornando difícil o acesso a dados que são necessários para avaliar o crescimento económico. Existe, portanto, a uma lacuna substancial na literatura existente, em especial nos estudos de países pós-conflitos. Esta lacuna na literatura deve-se, não apenas à falta de dados disponíveis, mas também à imprecisão do conceito período pós-conflito. A presente Tese aventura-se neste campo pouco explorado e estuda diferentes aspetos do crescimento económico pós-conflito. Assim, esta Tese tem como objetivo investigar diferentes dimensões geográficas, partindo de uma base de dados quase-mundial, no Capítulo 2, para um estudo de caso da Síria, no Capítulo 4. Adicionalmente, no Capitulo 3 é também estudado o crescimento económico sob uma perspetiva regional, olhando para os casos do Médio Oriente e do Norte de África. O Primeiro Ensaio explora os efeitos da descentralização no crescimento económico em países emergentes de conflitos civis. Para isso, foram analisados dois tipos de descentralização, a política e a fiscal. Com a utilização de um conjunto de duas regressões (uma transversal para a descentralização política e dados em painel para a descentralização fiscal), uma estimação OLS com efeitos fixos e, ainda, os testes de robustez necessários, não foram encontrados efeitos significativos da descentralização política, implicando que não existe uma descentralização política real ou que a descentralização política em países pós-conflitos é ineficaz. Por outro lado, a descentralização fiscal reduz a taxa de crescimento económico, um resultado que é consistente com parte da literatura existente. O Segundo Ensaio restringe o conjunto de dados concentrando-se apenas na região do Médio Oriente e Norte de Africa (MENA). Adicionalmente, neste Ensaio é traçado o efeito de uma variável monetária, a volatilidade da taxa de câmbio, sobre o crescimento económico. Este tópico não foi abordado antes na região MENA, dado que os esses países dependem mais de instrumentos de política fiscal do que monetários. Para o estudo foi calculado a volatilidade da taxa de câmbio para 23 moedas, a qual foi inserida na função de crescimento económico entre 1970 e 2014. Para considerar a endogeneidade e as características específicas não observadas de cada país, foram utilizadas diferentes estratégias de estimação, incluindo o Modelo GMM com efeitos fixos, o Modelo OLS de variável fictícia corrigida, e a correção de tendência do bootstrap interativo para o estimador de efeitos fixos. Os resultados mostram que a volatilidade da taxa de câmbio é uma das principais causas de recessão na região MENA, especialmente em países abundantes em trabalho, em diferentes fases dos ciclos de paz e conflito. O Terceiro Ensaio incide sobre o conceito de crescimento económico inclusivo, focando-se no caso de estudo da Síria, país onde um dos mais sangrantes conflitos civis dos últimos anos está a ocorrer. Para o estudo, neste Ensaio foram utilizadas técnicas de microsimilação para gerar números da pobreza e o perfil dentro do país, tendo por base uma amostra de um inquérito realizado às famílias Sírias em 2009. É também analisado, não apenas o efeito geral do conflito civil atual, mas também os efeitos distributivos sobre a pobreza, sendo apresentadas diferenças no perfil de pobreza antes e depois do conflito. Os resultados mostram que a taxa geral de pobreza passou de 12,3%, em 2009, para 87,5%, em 2015, mas subindo para 94% em Deir Azzor (cidade Síria). O Quarto Ensaio também esboça algumas das características demográficas e económicas das famílias pobres que viviam na Síria em 2015. Além do contributo que o que o último ensaio procura fazer em termos da estratégia de reconstrução da Síria, também contribui para o conhecimento metodológico em torno da previsão das taxas de pobreza dentro dos países que sofrem conflitos civis. A pesquisa existente usa esta técnica para transmitir a pobreza em alguns países em desenvolvimento. No entanto, até onde se sabe, ainda não foi utilizada esta abordagem para estimar as taxas de pobreza em casos como estes.
TypeDoctoral thesis
DescriptionTese de Doutoramento em Economics
URIhttps://hdl.handle.net/1822/60260
AccessEmbargoed access (2 Years)
Appears in Collections:BUM - Teses de Doutoramento
EEG - Teses de Doutoramento

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Samer Hamati.pdf4,59 MBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID