Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/1822/63057

TitleA perspetiva neuro-hormonal da paternidade: uma revisão
Author(s)Silva, Catarina Sofia Maia
Martins, Cristina Araújo
KeywordsFathers
Hormones
Brain
Issue dateMay-2018
PublisherAssociação Portuguesa dos Enfermeiros Obstetras (APEO)
Abstract(s)Introdução: As mudanças no papel do pai, o seu envolvimento no cuidado à criança e os padrões específicos das interações entre pai e filho apresentam contribuições únicas para o crescimento social, emocional e cognitivo das crianças (Feldman, Bamberger, & Kanat-Maymon, 2013). No entanto, ao contrário da maternidade, em que as alterações hormonais (Makieva, Saunders, & Norman, 2014) e neurais (Atzil, Hendler, & Feldman, 2011) estão bem descritas na literatura, a pesquisa sobre trajeto hormonal e neural dos homens durante a gravidez e pós-parto é limitada. Objetivo: Sistematizar a evidência sobre as alterações hormonais e neurais no homem, futuro pai, durante o período pré e pós-natal; tendo como finalidade sustentar uma prática clínica facilitadora da transição para a paternidade. Metodologia: Revisão da literatura orientada pela questão de investigação “Quais as alterações hormonais e neurais nos homens durante o período pré-natal e pós-natal?”. Para a seleção de estudos recorreu-se à pesquisa em bases de dados eletrónicas, via EBSCOhost e B-on, no idioma inglês e com restrição de data entre 2000 e 2018. Incluídos 20 artigos. Resultados: Estudos focados na transição para a parentalidade relatam correlações nos níveis de cortisol e progesterona entre o casal durante a gravidez (Edelstein, Wardecker, Chopik, Moors, Shipman & Lin, 2015). Os níveis séricos de cortisol no homem aumentam ao longo da gravidez (Storey, Walsh, Quinton, & Wynne-Edwards, 2000), havendo alguma evidência de que níveis elevados próximos do parto estão relacionados com uma preparação do homem para o cuidar. A progesterona não apresenta mudanças significativas durante o período pré-natal (Edelstein, Wardecker, Chopik, Moors, Shipman & Lin, 2015), no entanto a literatura evidencia que os homens que relatam emoções mais positivas depois de interagirem com os seus filhos apresentam níveis mais elevados desta hormona (Gettler, Mcdade, Agustin, & Kuzawa, 2013). Os homens apresentam declínios significativos na testosterona durante a gravidez, estando este declínio associado a um maior investimento, comprometimento e satisfação no pós-parto (Saxbe et al., 2017). Homens com filhos têm níveis plasmáticos de ocitocina mais elevados do que homens sem filhos (Mascaro, Hackett, & Rilling, 2014) e estes aumentam nos primeiros 6 meses de paternidade (Gordon, Zagoory-Sharon, Leckman, & Feldman, 2010). A administração intranasal de vasopressina desencadeia no homem o interesse pelos bebés e pelo papel paterno (Cohen-Bendahan, Beijers, Van Doornen, & Weerth, 2015). As mães mostram maior ativação da amígdala e correlações entre a resposta da amígdala e a ocitocina. Por sua vez os homens apresentam maior ativação dos circuitos sóciocognitivos, que se correlacionam com a vasopressina (Atzil, Hendler, Zagoory-Sharon, Winetraub, & Feldman, 2012). Nos primeiros quatro meses pós-parto, o homem apresenta mudanças estruturais no cérebro, com alteração do volume de massa cinzenta em várias regiões neurais (Kim et al., 2014). Conclusão: Os homens experienciam mudanças hormonais e neurais que moldam a sua adaptação ao papel paterno. Reconhecer o quão desafiante pode ser a transição para a paternidade, a relação entre hormonas e mente, permite aos profissionais de saúde empreenderem esforços para adotarem práticas capazes de facilitar esta transição ímpar na vida do homem e da família.
TypePoster
URIhttps://hdl.handle.net/1822/63057
ISBN978-989-97008-2-6
Publisher versionhttps://issuu.com/apeorevista/docs/ebook_apeo_2018
Peer-Reviewedyes
AccessOpen access
Appears in Collections:ESE-CIE - Comunicações / Communications

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Resumo_A perspetiva neuro-hormonal da paternidade-uma revisão.pdf334,57 kBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID