Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/1822/64192

TitleA esperança e o risco como atitudes metodológicas face aos desafios do Antropoceno
Other titlesHope and risk as methodological attitudes towards the challenges of the Anthropocene
Author(s)Cerqueira, Murillo Mendes
Advisor(s)Rego, Bruno
Mendes, João
KeywordsAntropoceno
Crise ambiental
Esperança
Futuros possíveis
Risco
Anthropocene
Environmental crisis
Hope
Possible futures
Risk
Issue date2019
Abstract(s)A proposta desta dissertação é de identificar atitudes metodológicas na Filosofia da Esperança e no conceito de Risco de Ulrich Beck que possibilitem uma nova orientação intelectual no Antropoceno. Este é visto como uma época onde a espécie humana tem criado mecanismos de desenvolvimento que podem conduzir à sua própria destruição. É também uma época marcada por crises: política, econômica e humanitária. Com isso, o discurso de perspectivas derrotistas se tornou comum na sociedade contemporânea, discurso este carregado de dimensões escatológicas. A partir da análise da Filosofia da Esperança de Ernst Bloch e do conceito de Risco de Urich Beck foi constatado que, em ambos, existem atitudes metodológicas que podem ajudar a transformar a perspectiva escatológica em dimensões dotadas de outras possibilidades. Nos dois autores, encontram-se igualmente perspectivas que desafiam a percepção de que tudo parece estar definindo ou tido como encerrado no Antropoceno (como, por exemplo, o suposto fim da espécie humana) e que precisam ser encaradas de outra maneira pela sociedade contemporânea. Tanto a filosofia de Bloch, quanto o conceito de risco de Beck, mostram que existem horizontes diante do caos da atual época, horizontes esses repletos de possibilidades, indicando que o futuro está em aberto.
The purpose of this dissertation is to identify methodological attitudes in Ernst Bloch’s Philosophy of Hope and Ulrich Beck’s Risk concept, capable of offering some guidance to the new era, the Anthropocene. The Anthropocene is seen as a time where the human species has created mechanisms that may possibly bring its own destruction. It is also a time marked by political, economic and humanitarian crises. Thus, the discourse carrying a sentiment of defeat has become a common place in contemporary society and it is charged with an eschatological perspective. From the analysis of Ernst Bloch's Philosophy of Hope and Urich Beck's Risk concept, it is possible to notice that in both there are methodological attitudes capable of transforming the eschatological perspectives into a feeling endowed with other possibilities. In both authors there also perspectives that challenge the perception that everything seems to be defined in the Anthropocene (as the supposed end of the human species), and that must be differently envisaged by the contemporary society. As both Bloch's philosophy and Beck's Risk concept show in the face of the contemporary chaos, there are horizons full of possibilities and, therefore, the future remains open.
TypeMaster thesis
DescriptionDissertação de mestrado em Filosofia Política
URIhttps://hdl.handle.net/1822/64192
AccessOpen access
Appears in Collections:BUM - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Tese+Murillo+Cerqueira+Versa_o+final+corrigida.pdf687,71 kBAdobe PDFView/Open

This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID