Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/1822/66048

TitleA saúde reprodutiva masculina: que realidade?
Author(s)Silva, Catarina Sofia Maia
Martins, Cristina Araújo
Leite, Estela Carolina Castro
KeywordsFertilidade
Homem
Pré-conceção
Issue dateFeb-2020
PublisherAssociação Portuguesa dos Enfermeiros Obstetras (APEO)
CitationSilva, C. S. M., Martins, C. A., & Leite, E. C. C. (2019). Atendimento escolar hospitalar: uma reflexão sobre o cenário brasileiro. In D. Sardo, I. Costa, & A. Pinheiro (Coords.), Encontro Nacional da Associação Portuguesa dos Enfermeiros Obstetras: XXII Encontro Nacional & 6º Congresso Internacional APEO - Livro de Resumos (pp. 41). Porto: APEO.
Abstract(s)Introdução: O cuidado pré-concecional reúne uma panóplia de intervenções de saúde biomédica, comportamental e social para mulheres e casais antes da conceção, com o objetivo de melhorar o seu estado de saúde e reduzir comportamentos, fatores individuais e ambientais que possam contribuir para maus resultados na saúde materna e infantil (WHO,2013). Apesar do foco dos cuidados no período pré-concecional estar centrado na mulher, é preconizada uma visão mais integrativa que promova o envolvimento construtivo do homem na saúde reprodutiva enquanto agente de mudança nas famílias e comunidades (Hardee, Croce-Galis, & Gay, 2016). O novo conceito de cuidados pré-concecionais com enfoque no homem salienta que a chave é a saúde intergeracional, em que a meta simultânea é a melhoria da saúde dos homens, famílias e futuras gerações (Kotelchuck & Lu, 2017). Objetivos: Explorar o conhecimento dos homens sobre os comportamentos de saúde no período pré-concecional; Explorar os comportamentos de saúde dos homens no período préconcecional. Metodologia: Estudo exploratório e retrospetivo. Amostragem não probabilística, não intencional; inclusão de 42 homens, cujas parceiras estavam grávidas. Recolha de dados através de inquérito por entrevista. Tratamento e análise de dados com recurso a estatística descritiva. Resultados: Dos participantes no estudo, 80,95% dos homens não realizaram consulta préconcecional. Dos 19,05% que realizaram, apenas 4,76% recebeu aconselhamento sobre o impacto dos estilos de vida na fertilidade masculina. Outras fontes de informação durante o período pré-concecional foram os amigos (4,76%) e a internet (9,52%). O rastreio de infeções sexualmente transmissíveis foi realizado por apenas 16,76% dos futuros pais. Os hábitos tabágicos foram identificados em 61,9% dos homens e apenas 9,52% cessaram antes da conceção. O excesso de peso ou obesidade foi identificado em 71,4% dos homens e cerca de 28,57% utilizaram medicação (antidepressivos e antibióticos) nos 3 meses antes da conceção, com potenciais efeitos adversos na saúde reprodutiva. Conclusão: A otimização de resultados e ganhos em saúde durante a gravidez só pode ser maximizada se for enquadrada num conjunto alargado de intervenções, a iniciar na consulta pré-concecional. O enfermeiro especialista em saúde materna e obstétrica ao incluir e envolver os homens no nos cuidados pré-concecionais estará a contribuir para uma melhoria no planeamento familiar, fertilidade, resultados de saúde maternos infantis e ainda preparar melhor os homens para a paternidade.
TypeAbstract
URIhttps://hdl.handle.net/1822/66048
ISBN978-989-97008-2-6
Peer-Reviewedyes
AccessOpen access
Appears in Collections:ESE-CIE - Comunicações / Communications

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
A saúde reprodutiva_resumo publicado.pdf1,44 MBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID