Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/1822/68065

TitleO léxico bilingue: Um léxico ou dois? Eis a questão…
Author(s)Comesaña, Montserrat
Fraga, Isabel
Perea, Manuel
Pinheiro, Ana P.
KeywordsBilinguismo
reconhecimento visual de palavras
Issue dateJun-2008
PublisherUniversidade do Minho. Centro de Estudos Humanísticos (CEHUM)
CitationComesaña, M., Fraga, I., Perea, M., & Pinheiro, A. (2008). O léxico bilingue: Um léxico ou dois? Eis a questão… In C. Flores (Ed.), Temas em Bilinguismo (pp. 15-60). Braga: Hespérides. DOI: 10.13140/2.1.1841.2489
Abstract(s)[Excerto] O léxico mental representa a ponte entre a mensagem linguística recebida e a interpretação dessa mensagem (van Hell, 1998). Compreender de que forma os indivíduos bilingues reconhecem e dizem as palavras em cada um dos seus idiomas tem sido objecto de grande interesse no âmbito da Psicolinguística. As investigações passadas acerca da organização do léxico bilingue centraram-se em aspectos tais como: (1) o modo de representação de palavras de cada um dos idiomas por parte de indivíduos bilingues, considerando duas possibilidades: a representação das palavras num único léxico ou em dois léxicos diferentes; (2) o acesso ao léxico (reconhecimento), de forma selectiva (Gerard & Scarborough, 1989; Macnamara & Kushnir, 1971; Soares & Grosjean, 1984) ou não selectiva (Altenberg & Cairns, 1983; Brysbaert, van Dyck & van de Poel, 1999; de Bruijn, Dijkstra, Chwilla & Schriefers, 2001; Marian & Spivey, 2003; van Hell, 1998). A maioria dos dados acumulados converge num modelo bilingue em que a forma da palavra traduzida se encontra representada num sistema específico das línguas a um nível lexical, enquanto a representação do significado se encontraria a um nível conceptual comum a ambas as línguas (van Hell, 1998), embora a evidência mais recente fale de um léxico integrado e mantenha a ideia de que existem representações semanticamente compartilhadas pelas duas línguas (Perea, Duñabeitia, & Carreiras, 2008). Neste sentido, importa referir que, dependendo do nível de representação avaliado (léxico ou morfo-sintáctico), é possível falar de diferenciação ou de integração. [...]
TypeBook part
DescriptionColeção: Hespérides. Linguística, vol. 7.
URIhttps://hdl.handle.net/1822/68065
ISBN978-972-8063-57-3
DOI10.13140/2.1.1841.2489
AccessOpen access
Appears in Collections:CIPsi - Livros e Capítulos de Livros

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Chapter, Comesana et al. 2008.pdf1,2 MBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID