Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/1822/70574

TitlePrevalência do burnout nos enfermeiros: estudo numa equipe de urgência hospitalar
Author(s)Gomes, Lídia Maria Martins
Advisor(s)Encarnação, Paula
Simães, C.
KeywordsBurnout
Enfermeiros
Prevalência
Serviço de urgência
Nurses
Prevalence
Emergency department
Issue date2021
Abstract(s)A síndrome de burnout é um fenómeno prevalente nos cuidados de saúde nos dias atuais, considerada como um estado de esgotamento físico e mental causado pelo exercício de uma atividade profissional, é reconhecida como um constructo multidimensional com diversas implicações negativas quer a nível individual, quer a nível organizacional, sendo considerada característica das “profissões de ajuda”, nomeadamente nos enfermeiros. A presente investigação intitulada “Prevalência do burnout nos enfermeiros: estudo numa equipe de urgência hospitalar” teve como objetivos orientadores: 1) proceder à caracterização sociodemográfica e profissional do trabalho dos enfermeiros de um serviço de urgência; 2) avaliar dos níveis de burnout dos enfermeiros de um serviço de urgência; e, 3) explorar do efeito das variáveis sociodemográficas e profissionais nos níveis de burnout dos enfermeiros de um serviço de urgência. Uma amostra de 102 enfermeiros participou neste estudo de natureza transversal, com uma abordagem do tipo quantitativo, exploratório, descritivo e correlacional. Os participantes responderam a dois instrumentos de recolha de dados: 1) um Questionário Sociodemográfico e Profissional; e, 2) a versão portuguesa da Medida de Burnout de Shirom-Melamed (MBSM; tradução e adaptação de Gomes, 2012). Os resultados obtidos evidenciam que a Fadiga Física (33,3%; n = 34) constituiu a componente mais prevalente nestes participantes, seguida da Fadiga Cognitiva (13,7%; n = 14), da Exaustão Emocional (6,9%; n = 7), e por fim, 6,9 % (n = 7) dos enfermeiros apresentaram níveis moderados a elevados de burnout (Burnout-Total ≥ 5). Constatou-se existir uma associação negativa, estatisticamente significativa, entre a média mensal de turnos de trabalho realizada ao fim-de-semana/feriados e os níveis de Fadiga Cognitiva (p = - 0,23) e Burnout-Total (p = - 0,28). Ainda, ao nível da Fadiga Física evidenciou-se níveis elevados de burnout nos participantes do sexo feminino (M = 4,47; DP = 1,15; Mdn = 4,75; n = 68); nos que não possuíam hobby/atividades de lazer (M = 4,74; DP = 1,20; Mdn = 5,00; n = 31); e nos que não praticavam exercício físico (M = 4,69; DP = 1,12; Mdn = 5,00; n = 47). Ao nível da Fadiga Cognitiva, os participantes que não praticavam exercício físico (M = 3,80; DP = 1,44; Mdn = 4,00; n = 47) e os que possuíam o 1º ciclo de estudos (M = 3,53; DP = 1,30; Mdn = 3,40; n = 68) acusavam maiores níveis de burnout. Ao nível da Exaustão Emocional, os participantes que não praticavam exercício físico (M = 3,06; DP = 1,41; Mdn = 2,67; n = 47) apresentavam maiores níveis de burnout. Na medida global de burnout (Burnout-Total), os participantes que exibiram maiores níveis de burnout foram os participantes do sexo feminino (M = 3,58, DP = 1,09); os que não possuíam hobby/atividades de lazer (M = 3,74; DP = 1,14); os que não praticavam exercício físico (M = 3,85; DP = 1,12); e os que detinham o 1º ciclo de estudos (M = 3,55; DP = 1,01). Verificou-se ainda, que as habilitações académicas (p = 0,046) e a prática de exercício físico (p = 0,001) foram fatores preditores significativos dos níveis de burnout. Conclui-se que os participantes deste estudo empírico, que trabalham num serviço de urgência, onde todos os dias lidam com situações complexas de tomada rápida de decisão clínica, apresentam níveis de burnout que são merecedores de atenção. Sugere-se a importância da realização de futuros estudos, contemplando a avaliação das fontes de stress e a adoção de estratégias de intervenção e/ou prevenção do burnout dirigidas aos enfermeiros e à organização. Como futura enfermeira especialista é expectável a vigilância e controlo dos níveis de burnout, que permitirá uma contínua reflexão e atualização do fenómeno, podendo criar estratégias de intervenção/prevenção face a esta problemática, para que os enfermeiros possam prestar melhores cuidados de saúde com maior segurança, e de qualidade dos mesmos, à pessoa em situação crítica.
The burnout syndrome is a prevalent phenomenon in health care today, considered as a state of physical and mental exhaustion caused by the exercise of a professional activity, it is recognized as a multidimensional construct with a panoply of negative implications both at the individual level, or at the organizational level, being considered characteristic of the “help professions”, namely in nurses. The present investigation entitled “Prevalence of burnout in nurses: study in a hospital emergency team” had as its guiding objectives: 1) to proceed to the sociodemographic and professional characterization of the work of nurses in an emergency service; 2) to assess the burnout levels of nurses in an emergency department; and, 3) explore the effect of sociodemographic and professional variables on the burnout levels of nurses in an emergency department. A sample of 102 nurses participated in this cross-sectional study, with a quantitative, exploratory, descriptive and correlational approach. Participants answered two data collection instruments: 1) a Sociodemographic and Professional Questionnaire; and, 2) the Portuguese version of the Shirom-Melamed Burnout Measure (MBSM; translation and adaptation by Gomes, 2012). The results obtained show that Physical Fatigue (33,3%; n = 34) was the most prevalent component in these participants, followed by Cognitive Fatigue (13,7%; n = 14), Emotional Exhaustion (6,9%; n = 7), and finally, 6,9% (n = 7) of nurses had moderate to high levels of burnout (Burnout-Total ≥ 5). There was a negative, statistically significant association between the monthly average of work shifts carried out at weekends/holidays and the levels of Cognitive Fatigue (p = - 0,23) and Burnout-Total (p = - 0,28). Still, at the level of Physical Fatigue, high levels of burnout were evidenced in female participants (M = 4,47; SD = 1.15; Mdn = 4,75; n = 68); in those who had no hobby/leisure activities (M = 4,74; SD = 1,20; Mdn = 5,00; n = 31); and in those who did not practice physical exercise (M = 4,69; SD = 1,12; Mdn = 5,00; n = 47). At the level of Cognitive Fatigue, participants who did not practice physical exercise (M = 3,80; SD = 1,44; Mdn = 4,00; n = 47) and those who had the 1st cycle of studies (M = 3,53; SD = 1,30; Mdn = 3,40; n = 68) showed higher levels of burnout. At the level of Emotional Exhaustion, participants who did not practice physical exercise (M = 3,06; SD = 1,41; Mdn = 2,67; n = 47) had higher levels of burnout. In the global measure of burnout (Burnout-Total), the participants who exhibited the highest levels of burnout were the female participants (M = 3,58; SD = 1,09); those who had no hobby/leisure activities (M = 3,74; SD = 1,14); those who did not practice physical exercise (M = 3,85; SD = 1,12); and those who had the 1st cycle of studies (M = 3,55; SD = 1,01). It was also found that academic qualifications (p = 0,046) and physical exercise (p = 0,001) were significant predictors of burnout levels. It is concluded that the participants of this empirical study, who work in an emergency service, where every day they deal with complex situations of rapid clinical decision-making, present burnout levels that are worthy of attention. The importance of carrying out future studies is suggested, including the assessment of sources of stress and the adoption of intervention and/or burnout prevention strategies aimed at nurses and the organization. As a future specialist nurse, surveillance and control of burnout levels are expected, which will allow continuous reflection and updating of the phenomenon, and can create intervention/prevention strategies in the face of this problem, so that nurses can provide better health care with greater safety and their quality, to the person in a critical situation.
TypeMaster thesis
DescriptionDissertação de mestrado em Enfermagem da Pessoa em Situação Crítica
URIhttps://hdl.handle.net/1822/70574
AccessOpen access
Appears in Collections:BUM - Dissertações de Mestrado
ESE-CIE - Dissertações de Mestrado/MSc Dissertations

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Lidia Maria Martins Gomes.pdf1,29 MBAdobe PDFView/Open

This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID