Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/1822/7552

TitleArgamassas antigas: reacção pozolânica ou activação alcalina?
Author(s)Pacheco-Torgal, F.
Gomes, J. P. Castro
Jalali, Said
KeywordsArgamassas antigas
Pozolanas
Durabilidade
Activação alcalina
Issue date2007
PublisherAssociação Portuguesa dos Fabricantes de Argamassas de Construção (APFAC)
CitationCONGRESSO NACIONAL DE ARGAMASSAS DE CONSTRUÇÃO, 2, Lisboa, Portugal, 2007 – “Sob a égide da reabilitação : actas do Congresso Nacional de Argamassas de Construção”. [Lisboa : APFAC, 2007].
Abstract(s)No presente artigo procede-se a uma análise das explicações clássicas relativas à durabilidade das argamassas antigas. A grande maioria das descrições sobre as argamassas antigas, nomeadamente sobre o período referente à civilização romana, refere-se à importância da adição de pozolanas naturais ou artificiais na obtenção de argamassas de elevada resistência mecânica e à acção da água, são contudo omissas no que respeita aos mecanismos de reacção que expliquem essa resistência, sendo também omissas relativamente à explicações para a presença zeólitos na composição daquelas argamassas. Neste artigo são avançadas explicações para o fenómeno da durabilidade das argamassas antigas, com base na teoria da activação alcalina.
TypeConference paper
URIhttps://hdl.handle.net/1822/7552
Peer-Reviewedyes
AccessOpen access
Appears in Collections:C-TAC - Comunicações a Conferências Nacionais
CEC-MAT - Comunicações a Conferências Nacionais

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Artigo-activação alcalina.pdf217,27 kBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID