Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/1822/76228

TitleQualidade de vida de pessoas com doenças do humor
Author(s)Macedo, Ermelinda
Ferreira, Patrício
Nossa, Paulo Nuno Sousa
Silva, Carlos Fernandes
KeywordsDoenças do humor
Doença mental
Qualidade de vida
Mood disorders
Mental disease
Quality of life
Mental Illness
Issue dateNov-2021
PublisherInstituto Piaget
CitationMacedo, E., Ferreira, P., Nossa, P., Silva, C.F. (2021). Qualidade de Vida de pessoas com doenças do humor. In Desouzart G. (Ed.), Proceedings of the 2nd International Congress of Health and Well-Being Intervention - ICHWBI2021 and the 1st International Conference on Human Kinesiology – 1st ICOHK; 2021 May 28-29; Viseu, Portugal. (p. 28). ISBN (e-book): 978-989-759-154-9.
Abstract(s)Introdução: A Qualidade de Vida (QdV) é assumida como uma medida de resultado em saúde, a par da mortalidade e da morbilidade. Perante o aumento de pessoas com doenças do humor, a mudança de paradigma de prestação de cuidados e a necessidade de melhorarmos esses cuidados, emergiu a necessidade de avaliarmos a sua QdV. Objetivo: identificar relações significativas entre os domínios da QDV e as variáveis clínicas e sociodemográficas e condições de acompanhamento em pessoas com doenças do humor. Métodos: Foi elaborado um estudo descritivo correlacioanal numa amostra com 36 sujeitos com uma média de idades de 52,18 anos. Instrumentos: WHOQOL-Bref, validado para a população portuguesa; Índice de Graffar; Questionário de Dados Sociodemográficos e Clínicos e, Guia de Observação. Os dados foram recolhidos no domicílio dos sujeitos. Utilizados testes paramétricos, sempre que se verificou a normalidade das variáveis e não paramétricos. Utilizou-se o ρ de Spearman como alternativa ao r de Pearson, quando neste último violava o pressuposto da normalidade. Resultados: Foram encontradas diferenças comparando o grupo com perturbações depressivas sem outra especificação (PDSOE) com os grupos com depressão major, distimia e perturbação bipolar, respetivamente. Relativamente à comparação do grupo PDSOE e da depressão major, este apresentou pior QdV no que respeita à faceta QdV geral. Os sujeitos com distimia sugeriram piores valores de QdV nos domínio físico (DF) e psicológico (DP), quando comparados com o grupo PDSOE. Os sujeitos com doença bipolar demonstraram piores índices de QDV no DF e DP que os sujeitos com PDSOE. Encontraram-se diferenças no que diz respeito a algumas variáveis siciodemográficas e de acompanhamento e a QdV. Conclusões: No contexto clínico é imprescindível investigar a eficácia da implementação de programas de promoção da QdV para pessoas com diferentes doenças do humor e, mais particularmente, sobre as intervenções constantes no plano terapêutico que visam melhorar a QdV.
TypeAbstract
URIhttps://hdl.handle.net/1822/76228
ISBN978-989-759-154-9
Publisher versionhttps://healthwellbeingcongress.ipiaget.org/pt-pt/abstracts/
Peer-Reviewedyes
AccessOpen access
Appears in Collections:ESE-CIE - Livros de atas / Papers in conference proceedings

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Proceedings of the ICHWBI 2021 ´pagina 28.pdf1,97 MBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID