Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/1822/76992

TitleAdvocacy for promotion and integration of refractive error services into national health services
Other titlesAdvocacia para a promoção e integração de serviços refrativos nos serviços nacionais de saúde
Author(s)Carneiro, Vera Lúcia Alves
Advisor(s)González-Méijome, José Manuel
KeywordsEpidemiology
Prevalence
Public health
Refractive error
Vision impairment
Deficiência visual
Epidemiologia
Erros refrativos
Prevalência
Saúde pública
Issue date24-Mar-2022
Abstract(s)Refractive error is a public health concern and even with relatively simple and cost-effective interventions it remains the leading cause of vision impairment worldwide. Addressing the ongoing met and unmet needs of refractive error has become a matter of interest and to generate evidence is crucial to identify current needs and future trends. Data on the prevalence, trends, and progression of refractive error in Portugal are scarce and heterogeneous but are essential to inform decision-makers in the process of planning eye care services. This study aimed to determine the prevalence and distribution of refractive error among the Portuguese population, to place it in a public health perspective and to propose a strategy to address it within the NHS. A first approach systematically reviewed and meta-analysed epidemiological data of refractive error prevalence. A second approach estimated the prevalence and distribution of refractive error based on a clinical sample of consecutive patients from optometric practices distributed by the country. And lastly, a third approach estimated the distribution of refractive error based on ophthalmic lens manufacturer big data. This three-studies approach allows a more realistic estimate. Finally, an integration proposal to address refractive error within the NHS was developed. The main conclusions were that refractive error prevalence in Portugal is between 20 to 45% (95% CI). This value shows that at least 2 to 4 million Portuguese have a refractive error and that places the refractive error as one of the conditions with more burden on the health system and population. Myopia is the most prevalent refractive error (41.3%) and the most prevalent among younger populations, representing a considerable burden for group ages between the 6 and 29 years old (69.3%). A trend of increasing prevalence of myopia and high myopia was observed from 40.89% in 2010 to 50.66% in 2020. This shift towards the increase of myopia prevalence has important implications for public health and services planning, not only to manage the refractive error itself, but also, future expected myopia-related complications. Alternative sources of epidemiological data were identified. An action plan demonstrate that is possible and effective to integrate refractive services into the already existing infrastructures of primary care, and with already trained workforce.
O erro refrativo é considerado um problema de saúde pública e, mesmo com intervenções simples e ótima relação custo-benefício, mantém-se como a principal causa global de deficiência visual. Abordar as necessidades contínuas, atendidas e não atendidas, dos portadores de erro refrativo tornou-se uma questão de interesse e gerar evidência é crucial para identificar as necessidades atuais e tendências futuras. Os dados sobre prevalência, tendências e progressão de erro refrativo em Portugal são escassos e heterogéneos, mas são essenciais para informar os decisores no processo de planeamento dos serviços de saúde. O presente estudo teve como objetivo determinar a prevalência e distribuição do erro refrativo na população portuguesa, enquadrá-lo numa perspetiva de saúde pública e propor uma estratégia para o abordar ao nível do SNS. Numa primeira abordagem foi efetuada uma revisão sistemática e meta-análise de dados epidemiológicos de prevalência de erro refrativo. Uma segunda abordagem estimou a prevalência e distribuição do erro refrativo com base numa amostra clínica de pacientes consecutivos de consultórios optométricos distribuídos pelo país. E, por último, uma terceira abordagem estimou a distribuição do erro refrativo com base em big data de distribuidores de lentes oftálmicas. Esta abordagem de três estudos permite uma estimativa mais realista. As principais conclusões expõem uma prevalência de erro refrativo em Portugal entre 20 e 45% (IC 95%), isto é, pelo menos 2 a 4 milhões de portugueses possuem um erro refrativo, o que coloca o erro refrativo como uma das condições que maior peso sobre o sistema de saúde e a população. A miopia é o erro refrativo mais prevalente na generalidade (41.3%) e o mais prevalente entre a população mais jovem, representando 69.4% para a faixa etária entre 6 e 29 anos. Uma tendência de aumento da prevalência de miopia e alta miopia foi observada de 40.89% em 2010 para 50.66% em 2020. Esta mudança epidemiológica de aumento da prevalência da miopia tem implicações importantes para a saúde pública e no planeamento de serviços, não apenas para abordar a condição em si, mas também as complicações patológicas futuras associadas à miopia. Foram identificadas fontes alternativas de dados epidemiológicos. Por fim, foi desenvolvida uma proposta de integração de serviços refrativos no SNS português que demonstra ser possível e eficaz a integração nas infraestruturas de cuidados primários já existentes e com a força de trabalho disponível no país.
TypeDoctoral thesis
DescriptionDoctoral Program in Optometry and Vision Sciences
URIhttps://hdl.handle.net/1822/76992
AccessEmbargoed access (2 Years)
Appears in Collections:BUM - Teses de Doutoramento
CDF - OCV - Teses de Doutoramento/PhD Thesis

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Vera Lucia Alves Carneiro.pdf
  Until 2024-03-24
Tese de doutoramento3,99 MBAdobe PDFView/Open

This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID