Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/1822/204

TitleAplicações inteligentes dos têxteis em arquitectura
Author(s)Mendonça, Paulo
Issue date1997
Abstract(s)O curso de Mestrado em Design e Marketing tem a particularidade e virtude de reunir três áreas complementares: a Engenharia Têxtil, o Design e o Marketing que cada vez mais são indissociáveis em produtos que se querem de qualidade. Em Portugal, os têxteis técnicos para construção ainda não têm conhecido uma implantação ao nível de outros países, como os Estados Unidos, o Japão ou a Alemanha, como se pode concluir da recolha bibliográfica realizada e dos exemplos apresentados ao longo deste trabalho, onde se faz uma análise histórica sobre a evolução da arquitectura têxtil, se apresentam projectos recentes significativos, não só em termos de escala, como em termos conceptuais. O facto de muitas construções têxteis terem uma ocupação efémera não significa que nelas possa ser descurado o design. Na Expo 92 de Sevilha, uma série de coberturas têxteis relevantes mostrou as potencialidades deste tipo de estruturas e veio provar que as telas arquitectónicas não só são adequadas a construções de carácter secundário, mas podem constituir soluções efectivas especialmente inovadoras. As questões do comportamento térmico das coberturas têxteis constituíram o principal factor de estudo neste trabalho, por entendermos serem as preocupações de rentabilização energética, (no aproveitamento das energias alternativas, na eficácia estrutural e no conforto em geral) os elementos mais importantes na classificação de um edifício como Inteligente”. Como trabalhos práticos, desenvolveram-se duas hipóteses de utilização de têxteis em arquitectura, nomeadamente uma tela reactiva com pigmentos cromotrópicos e uma biblioteca móvel, que se pretendem exemplos de soluções Inteligentes”. O primeiro trabalho prático consiste numa tela “reactiva”. Uma das desvantagens apontadas às construções têxteis diz respeito ao seu deficiente comportamento térmico, devido à sua pouca inércia térmica, não muito adequadas a climas como o de Portugal, em que a amplitude térmica faz oscilar a temperatura ambiente exterior entre valores mais baixos e mais elevados que as temperaturas de conforto interiores ideais. Esta solução solar activa tem a vantagem de ser autónoma e não apresentar nenhum acréscimo de peso, lá que as construções têxteis, pela forma livre” e sistema construtivo ligeiro não comportariam soluções complexas, tais como sensores térmicos ligados a sistemas mecânicos. As fibras e tratamentos químicos que hoje se fazem aos têxteis, permitem que pela sua durabilidade, resistência e outras propriedades possam ser usadas na concepção de produtos e soluções eficientes, e por isso ditas “inteligentes”, duma forma passiva, quando se pretendem grandes vãos livres ou características de iluminação interior uniforme. O trabalho prático da segunda proposta, é uma construção móvel, com cobertura têxtil, que no caso é uma biblioteca, realizada com base num atrelado semireboque. Se em itinerância tem a dimensão dum contentor, quando desdobrado apresenta uma área útil coberta cerca de cinco vezes maior. Foi concebida para países quentes e húmidos, com temperaturas sempre superiores à temperatura de conforto ideal, sem isolamento térmico e características de ventilação e iluminação naturais.
TypeMaster thesis
URIhttps://hdl.handle.net/1822/204
AccessOpen access
Appears in Collections:BUM - Dissertações de Mestrado
DET/2C2T - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
paulo mendonca.pdf16,4 MBAdobe PDFView/Open
paulo mendonca errata.pdf54,52 kBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID