Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/1822/32323

TitleO autocuidado como conceito central da enfermagem: da conceptualização aos dados empíricos através de uma revisão da literatura dos últimos 20 anos (1990-2011)
Author(s)Petronilho, Fernando
KeywordsAutocuidado
Intervenções de enfermagem
Atividades de vida diária
Revisão da literatura
Issue dateMar-2012
PublisherFORMASAU, Formação e Saúde, Lda
Abstract(s)O envelhecimento da população e a crescente prevalência das doenças crónicas têm tido um impacto significativo no sistema financeiro, social e da saúde das sociedades. Em resposta a este facto, as políticas de saúde colocam o enfoque na responsabilização, envolvimento e mestria dos cidadãos e nas famílias para cuidarem-se a si próprios em relação às atividades de vida diária e na procura de comportamentos de saúde que integrem esquemas terapêuticos (autocuidado) definidos com a ajuda dos profissionais de saúde, no sentido de serem capazes de gerir com maior eficácia os processos de saúde - doença. Vários fatores têm contribuído para a importância do autocuidado como foco de atenção no domínio da saúde (Wilkinson & Whitehead, 2009; Sidani, 2011): 1) as alterações dos padrões e prevalência de doenças crónicas associadas ao envelhecimento da população, 2) a mudança de paradigma com a evolução de uma lógica de cuidados curativos para um maior enfoque nos cuidados orientados para a promoção da saúde, 3) a economia da saúde caracterizada por recursos limitados e o enfoque dado à contenção de custos, levando ao cumprimento de internamentos hospitalares mais curtos e, assim, com a crescente relevância dos cuidados de proximidade, em contexto domiciliário, com a necessidade de capacitar as famílias para uma melhor adaptação aos desafios de saúde e, 4) maior consumo de informação por parte dos cidadãos, tornando-os mais capazes de tomar decisões sobre as questões da saúde e estratégias de abordagem, maior exigência no controlo da saúde, envolvimento ativo e maior motivação para melhorar a sua saúde e bem-estar. Este trabalho surge do nosso percurso de doutoramento em enfermagem, onde o fenómeno da transição do adulto para a dependência no autocuidado assume particular atenção, levando-nos à necessidade de refletir e aprofundar o conceito de autocuidado com base na evidência empírica disponível. Assim, pensámos ser útil organizar este documento como parte integrante de um estudo de maior dimensão e complexidade, com a convicção de tornar útil aos profissionais de saúde e, em particular, aos enfermeiros, as sínteses e os resultados apresentados, uma vez que, em Portugal, não temos conhecimento de qualquer trabalho desta natureza acerca do fenómeno do autocuidado. Numa primeira parte, referimo-nos ao autocuidado numa perspectiva concetual, com referência à Teoria de Enfermagem do Défice do Autocuidado de Dorothea Orem. A opção por esta autora e por este marco teórico justifica-se pelo facto de ser amplamente utilizado e referenciado na investigação em enfermagem, quando o tema central dos estudos é o fenómeno do autocuidado. Assim, procedemos ao desenvolvimento dos conceitos centrais da teoria. Numa segunda parte, utilizando a técnica da revisão sistemática da literatura como metodologia de investigação, apresentamos um conjunto de dados empíricos, sistematizados, sobre o fenómeno do autocuidado. Incluímos estudos realizados nos últimos 20 anos (entre 1990 e 2011), com recurso às bases de dados e utilizando o método PICOD para a seleção e apresentação dos estudos. Como resultado final, selecionámos e discutimos 58 estudos, a partir dos quais emergiram 3 temas centrais: 1) autocuidado como um recurso de saúde, 2) estilos de autocuidado e, 3) fatores determinantes do autocuidado.
TypeBook
URIhttps://hdl.handle.net/1822/32323
ISBN978-989-8269-17-1
AccessOpen access
Appears in Collections:ESE-CIE - Livros e Capítulos de Livros / Books and Book Chapters

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Autocuidado-Conceito Central da Enfermagem 2012.pdfLivro completo10,6 MBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID